Nova praga coloca apicultura e meliponicultura em sinal de alerta!

Uma nova ameaça é um pequeno besouro (Aethina tumida), endémico da África sub-saariana, que está atacando várias colmeias ao redor do mundo como nós: Estados Unidos, Egito, Austrália, Canadá, México, Itália e na América Central (considerando os relatos ocorridos em Cuba nas(Melipona beecheii)

aethina tumida mundo

Portugal foi o único país que assim diagnosticou o besouro (Aethina tumida), rapidamente conseguiu erradicá-lo não houve mais relatos de ataque do besouro em seus apiários no país.

Fotos da Melipona beecheii recém dividida por meliponicultor em Cuba, sendo atacada pelo Besouro Aethina Tumida, onde e possível ver na foto A (esquerda) os besouros adultos, e na foto B (direita) as suas larvas que lembra um pouco as larvas de forídeos:

Melipona beecheii atacada pelo Besouro (Aethina túmida)

E no segundo enxame de Melipona beecheii que foi saqueado da leguminosa (Gliricidia sepium) por meleiros, onde um meliponicultor cubano, viu a mesma em má condição física onde o enxame ficou exposto com uma grande porta de entrada (8×7 cm), bem superior a natural de 1,13 cm, razão pela qual o sistema de defesa da colônia foi comprometido e o Besouro Aethina Tumida atacou o enxame onde foram contados 12 besouros adultos e 256 larvas do mesmo.
Imagem dos discos atacados, larvas e besouros podem ser visto na imagem abaixo:

Melipona beecheii atacada pelo Besouro (Aethina túmida)

Alguns relatos também na Trigona carbonaria abelha nativa sem ferrão da Australia que ficava próxima a um apiário que foi atacado pelo besouro (Aethina tumida), mas a abelha utilizado seu mecanismo de defesa uma mistura de resina, cera e lama fazendo a mumificação dos besouros invasores.

Abelha Trigona Carbonaria mumificando besouro Aethina Tumida

Em 26 de fevereiro de 2016 o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), confirmou a presença do besouro (Aethina tumida) nas colmeias de Apis mellifera no Brasil.

Especula-se que os besouros tenham chegado no Brasil e em outros países, várias fontes indicam que foi através de importações de rainhas, alguns apicultores dizem que foi através da importação de pólen de outros países.

Pelo o que eu andei pesquisando constatei argumentos fortes indícios que o Besouro possa ter vindo através de “frutas” que foram importadas. Nunca saberemos ao certo.

Besouro Aethina TumidaImagem ampliada do Besouro (Aethina tumida) acima:

O besouro (Aethina tumida) tem muito pouco tempo no Brasil, não ouvir até o momento relatos de ataques nas abelhas sem ferrão aqui no Brasil, mas vários relatos de ataques nas Apis mellifera.

Todos os Meliponicultores e Apicultores estejam preparados para essa nova ameaça. Pelo que constatei que os Besouros têm semelhança ao nosso inimigo número um das abelhas nativas sem ferrão os forídeos. Apesar por serem bem diferentes em vários aspectos.

Os dois assemelham-se de serem atraídos por enxames fracos e desorganizados. São atraídos pelos aromas da colmeia e especialmente o pólen. Onde o enxame que esteja vulnerável dificilmente conseguirá sobreviver sem um manejo. Um bom manejo acredito que possamos intervir e salvar o enxames que foram atacados.

Esse texto será atualizado assim que obtiver mais informações a respeito do mesmo. Fiquem em alerta, mantenham os enxames forte, não deixe detritos de enxames que perderam jogado perto do Meliponário, evite frestas nas caixas.

Para que tiver tiver problemas com o besouro (Aethina tumida), procure imediatamente a sua Agência Estadual de Defesa Agropecuária.

Qualquer constatação de ataques em abelhas nativas por favor entre em contato pelo fale conosco.