A empresa VETNIL está entre os cinco maiores laboratórios brasileiros de produtos veterinários. Sempre buscando eficácia e qualidade dos produtos, realizando diversos testes laboratoriais e de campo antes de comercializá-los no mercado consumidor.

aminomix-pet-abelha

O Aminomix Pet é um dos produtos consagrados da empresa, reconhecido novamente pela 8° vez consecutiva como o melhor suplemento vitamínico do mercado brasileiro, sendo sua fórmula completa e balanceada. Este prêmio demonstra não só a eficácia como a qualidade de um produto testado e aprovado por milhões de criadores em todo o Brasil.

A Vetnil conseguiu em apenas um produto reunir em sua formulação 52 ingredientes diferentes. Entres eles estão: leveduras, macro e micro minerais, vitaminas e aminoácidos essenciais à alimentação de maneira que o animal atinja o máximo de seu potencial genético. Sendo indicado em animais de elite e exposição e também animais em fases críticas, como crescimento, gestação e reprodução.

vetnil

Bom chega de comentários a respeito da empresa e do produto. O uso do Aminomix Pet na meliponicultura começou a partir de meados de 2006/2007 e vem sendo aprovado por 80% dos meliponicultores em todo Brasil, apesar de até então nada ser provado (cientificamente) em relação sua eficácia sobre desenvolvimentos dos enxames.

Alguns Meliponicultores desistiram do seu uso por terem perdido alguns enxames por uso excessivo do Aminomix ou por terem seguido à risca a dosagem recomenda pelo fabricante. Lembrado que o Aminomix não é um produto desenvolvido para as abelhas; ele foi desenvolvido pensado em animais como: Cães, Gatos, Aves, Roedores, Bovinos, Caprinos, Ovinos e Suínos.

Portanto a especificações do modo de uso do Aminomix Pet informado pela Vetnil é de 1 a 2% por Kg de alimento, mas não podemos seguir à risca está medida, pois estaremos ultrapassando as necessidades nutricionais das nossas Abelha Sem Ferrão. Em relação ao que, realmente, elas buscam no mel (carboidratos e aminoácidos). Devemos fornecer no máximo (acredito eu) em torno de 1/4 de 1% ou 1/4 de 10 gramas, ou seja, 2,5 gramas (meia medida dosadora) de Aminomix Pet por KG. Acima dessa medida não sabemos ao certo o que ocorrerá. Alguns meliponicultores que conheço afirmam que a abelha rejeita o consumo do xarope; outros afirmam que o xarope fermenta depois de um tempo e outros afirmam que o Aminomix excessivo se torna um tóxico, fazendo os enxames perecerem.

Já vi relato de um meliponicultor ter usado uma medida dosadora (5 gramas) que acompanha o Aminomix Pet, perder vários enxames e outro não acontecer nada… E alguns que preferem usar com mais cautela fornecem apenas 1 grama por litro de xarope.

aminomix-pet

Nós períodos de condições adversas de clima como chuva e principalmente de frio onde também ocorrer à escassez de floradas as abelhas permanecem e suas caixas reduzindo as campeiras suas atividades externa com isso o silêncio da caixa é acentuado. Sendo ainda a época de maior consumo de alimento para as abelhas manterem uma temperatura interna para sua sobrevivência. Resultando com isso o consumo maior de alimento estocado e a redução da postura da rainha ou até mesmo ficando sem postura conhecido como (diapausa ou causando em algumas espécies a hibernação) que poderão ficar vários dias até meses. Essa falta de atividade e baixa de florada causa o enfraquecimento da colônia até levando a morte do enxame por falta de alimento na caixa. São nessas fases críticas que se fazem necessários o uso da alimentação artificial energética (xarope) pelo meliponicultor a fim de estimular e manter a postura da rainha e também as reservas de alimento e a atividade do enxame.

Devemos entender que, sem flores não há néctar e a abelha sem néctar, não produz o mel; sem mel não há abelhas. O néctar é a principal fonte de carboidratos e o pólen sua fonte de proteínas, vitaminas, lipídios (gorduras) e sais minerais dos quais as abelhas necessitam para atenderem suas exigências nutricionais. Sem pólen, o enxame não se desenvolve, por isso não devemos levar o Aminomix Pet como fórmula mágica e usar excessivamente achando que irá bombar a postura; devemos, sim, usá-lo com cautela, pois em excesso se transforma em veneno para os enxames, como relatamos acima no acompanhamento do dia-a-dia com conversas com amigos meliponicultores da minha região. Devemos acrescentá-lo ao xarope apenas para dar uma pequena implementada (upgrade) ao xarope.

Mas, de fato, uma alimentação artificial energética (xarope – substituto do mel) estimula a postura da rainha. Mas a falta de pólen realmente é um fator limitante ao seu crescimento. As abelhas mais velhas sobrevivem com uma dieta de apenas carboidratos e água. Mas as proteínas, vitaminas, lipídeos e sais minerais são nutrientes indispensáveis para a criação das larvas (alimento larval) e também para o desenvolvimento de abelhas jovens. Devemos lembrar ainda, que fornecendo xarope estimularemos as abelhas adultas (campeiras) focarem na busca do pólen, elementos nutricionais faltantes e relembrando que assim estamos estimulando a rainha a ovopositar de forma mais rápida.

abelha

Informação importante: Se fornecemos alimentação artificial (xarope), não é ético nem seguro a comercialização desse mel chamado aqui em Minas de “mel batizado” ou “mel processado”, o qual não é um mel puro e seguro para nosso consumo.

Bom voltado ao assunto, eu passei a fornecer às minhas abelhas sem ferrão, a seguinte receita uma vez na semana continuamente.

1º. Gostaria de enfatizar novamente que no uso do Aminomix no xarope, respeitem a dosagem mínima de 1 grama e no máximo 2,5 gramas por KG de xarope. Aprendendo isso, pule para o segundo passo. Porém, alguém vai me perguntar qual é a fonte disso, como chequei a essa porcentagem de premix por xarope? Cheguei através de relatos de amigos e consegui definir através desses mesmos relatos, uma dosagem mínima (segura) e uma dosagem máxima (ainda segura de se usar). Espero não ser questionado por isso, pois não há fonte e nem estudo a respeito disso; eu prefiro seguir esses valores e sugiro a fazerem o mesmo.

2º. Uma dica pessoal é não fornecer água da copasa ou outra fornecedora de água encanada (por ser água tratada com cloro etc.). Prefira ofertar água de nascente confiável (não poluída). Ferva essa água até levantar borbulhas, aguarde mais 2 minutos e logo apos desligue o fogo. A idéia de ferver a água de nascente é para combater os Coliformes Fecais ou Totais.

3º. Aguarde esfriar um pouco por 20 minutos e em seguida coloque 500 ml da água em um liquidificador. Pegue uma peneira de malha fina, dentro dela coloque 2,5 gramas (meia medida dosadora) de Aminomix Pet que acompanha o produto para que o pó do Aminomix caia sobre a água de forma mais espalhada e não forme aquele aglomerado tanto em cima como no fundo, em seguida ligue o liquidificador para misturá-lo e diluí-lo na água. Depois de ter batido por 1 minuto, acrescente o açúcar até completar um pouco acima de 1000 ml e acrescente 1 a 2 colheres de mel de apis e bata novamente por 1 a 2 minutos.

Observação: A água não pode estar muito quente e nem muito próxima à temperatura ambiente; tanto o Aminomix Pet quanto o açúcar diluem melhor na água morna sem perder suas qualidades químicas e nutricionais. O mel será usado para acrescentar uma fração do que o aminomix não contem em sua composição além de deixar o xarope mais atrativo e palatável as abelhas.

Ainda continuando nas observações, gosto de colocar a partir de 55% de açúcar e 45% de água, por isso informo para ultrapassarem um pouco a medida dos 1000 ml com açúcar. Às vezes faço o xarope na proporção de 60% açúcar e 40% de água, mas nunca faço acima dessa concentração. Lembrando que o meu liquidificador tem as marcações de medidas em ml. E claro que um xarope mais concentrado, as abelhas consomem mais devagar, mas também não fermenta tão fácil. Notei que os enxames desenvolvem melhor no xarope mais concentrado variando entre 55% até 60% de açúcar, acima dessa concentração eu não vi vantagens aqui em Minas Gerais, mas isso pode variar de região para região.

Um fato que ando discutindo com um amigo, é que enxames alimentados apenas com vitaminas do tipo B através do (Vitagold), apresentam o desenvolvimento parecido, comparado com o do (Aminomix Pet), mas ainda é uma questão de estudo (que pretendo realizar com colméias de Mandaçaia MQA por registros de fotos para acompanhar seus desenvolvimentos, separando (10 colméias tratadas com aminomix e 10 colméias tratadas com vitagold e 10 colméias tratadas apenas com xarope só de açúcar e água). Em Apis há estudos de colméias complementadas no xarope com vitamina B, apresentarem crias e um aumento na produção de mel, variando de 25% a 40%, isso no xarope dado durante o inverno, comparado a outros enxames que receberam apenas xarope normal nas mesmas concentrações. Mas esse estudo com a apis me pareceu muito vago, pois parece que foram testadas apenas quatro colméias e é sabido que a rainha pode ter uma genética melhorada e mais produtiva que as outras, dentre outros fatores. Ou seja não se provou nada… E outro ponto, que outro amigo levantou, é que a rainha precisa de vitamina “E” e Selênio, e apenas o aminomix oferece-os.

Bom, sei que o texto ficou meio embolado e extenso, mas quis passar o que entendo e concluir sobre alimentação artificial que, até o momento, está sendo essa a melhor receita de alimentação artificial energética (xarope – substituto do mel), com efeitos positivos e aprovados em meus enxames que bolei. Espero que vocês aprovem e usem com cautela essa receita, conforme foi dito, e peço que compartilhem seus pensamentos, conhecimentos a respeito. Um abraço a todos vocês.