Batume: Utilizado pelas abelhas nativas para calafetar as frestas e formar as paredes interna que separa e apóiam o cortiço (ninho) sendo também usado para construção do tubo de entrada podendo receber outros dezenas de materiais como exemplo: sementes, folhas, gravetos, flores. Podendo ser constituído de barro ou argila (Melipona) ou de cerume (Trigona).

Batume crivado: Constituído de barro e própolis com pequenos canais ou orifícios com a finalidade para saída do ar e por conseqüente a ventilação do ninho.

Crivado: (perfurado).

Geoprópolis utilizado (Melipona): Mistura de barro e própolis (Geoprópolis). Utilizado pelas abelhas nativas principalmente para delimitação de espaços.

Própolis: E constituída por resinas vegetais e óleos, sendo misturada por secreções salivares das abelhas, podendo apresentar na forma de acúmulos isolados sem mistura, ou misturada a ceras. A palavra própolis vem do grego: [ “pro” = em favor de ] + [ “polis” = cidade ], isto é, em defesa da cidade no contexto a Colméia.

Cerume: Constituído de própolis e cera. Mistura de cera pura e branca secretadas pelas abelhas com própolis que elas colhem de uma árvore ou arbusto com algum ferimento (resina).

Néctar: Substância aquosa rica em açúcares sendo secretada pelos vegetais por meio de glândulas especializadas. Sendo sua composição química de açúcares variáveis por espécie de plantas nectaríferas. As Abelhas sem ferrão coletam o néctar com a língua e guardam-no numa bolsa localizada na garganta e transformam em mel sendo a sua principal fonte de carboidratos e de sobrevivência das abelhas sem ferrão. Sendo a maioria das plantas néctares sendo similares à água com açúcar (sucrose misturada com água) os néctares podem conter outras substâncias benéficas além dos açúcares. Depois que as campeiras voltam ao ninho elas regurgitam o néctar e o mesmo vai passando de abelha em abelha de maneira que a água que o néctar contém acaba se evaporado e engrossado e transformando em mel.

Corbícula: Parte da tíbia da pata traseira da abelha nas quatros tribos Apinae (subfamília da família Apidae): abelhas sem ferrão, abelhas melíferas, mamangabas e abelhas-das-orquídeas. Semelhante a um cesto utilizado pelas abelha sem ferrão para carregarem o pólen, barro, pólen, argila, barro, resina ou outros materiais.

Campeiras: Abelhas operárias (Abelhas fêmeas) que fazem as atividades externas à colônia, coletando materiais para sua sobrevivência sendo eles: pólen, néctar, argila, barro, resina, água ou outros materiais.

Zangão: Os zangões são as (Abelhas Machos) da colônia, cuja função é fecundação da rainha no vôo nupcial.

Guarda: Abelhas operárias que tem a função de defesa posicionando na entrada da colônia.

Célula de Cria: São feitas com cerume, sendo o local onde os ovos são colocados, onde contêm todo o alimento larval necessário para o desenvolvimento da larva e até a emersão da abelha adulta. Toda essa transformação que a abelha sofre até chegar ao estágio adulto chamada de metamorfose. Quando a abelha sem ferrão nasce a célula de cria é desmanchada e o cerume e reaproveitado em outras construções no ninho.

Fases do desenvolvimento das Abelhas Sem Ferrão: Na Célula de Cria e colocado todo o alimento necessário para o desenvolvimento da abelha que passam por cinco etapas (colocação dos Ovos na célula de cria, Fase Larval, Pré-pupa, Pupa e Adulto). Destas células de cria vão nascer as operárias, os zangões e a rainhas.

Ovo: Na célula de cria as operárias depositam uma porção de alimento chamada de (alimento larval = mel + pólen). E quando a célula fica cheia de alimento necessário para desenvolvimento da abelha a rainha faz a postura de um ovo e a célula de cria é fechada.

Fase Larval: Fase em que o Ovo colocado pela rainha se eclode dando origem a uma larva (Fase Larval). A larva se desenvolve e vai se alimentando a partir desta etapa do mel e pólen estocado na célula de cria (alimento larval).

Pré-pupa: Estágio de desenvolvimento anterior à pupa por isso e chamado de (Pré-pupa). Nas abelhas sem ferrão esse estágio onde a larva forma o seu casulo que abrigará a pupa, revestido a célula de cria internamente. Depois que o casulo e formado internamente as abelha adultas retiram um pouco de cerume que envolve o casulo onde a célula de cria ficam com um tom mais claro.

Pupa: Estágio intermediário entre a larva e o adulto no desenvolvimento de certos insetos. Nas abelhas sem ferrão dentro do casulo a pré-pupa transforma-se em pupa.

Adulto: Para a abelha chegar até a fase adulta a abelha sofre transformações chamadas de metamorfoses seguindo a seqüência dita acima: (ovo, larva, pré-pupa, pupa e adulto). A fase final da Pupa onde a abelha se desenvolve e vira um adulto finalizado a metamorfose. Que depois de certo tempo emerge da célula de cria com ajuda de outra abelha saindo a abelha completamente formada.

Cria madura: Discos de cria onde abrigam abelhas em desenvolvimento da fase: (pré-pupa até abelha adulta), são chamados de “cria nascente” pelos meliponicultores o que e muito importante saber identificá-las no ato da divisão.

Cria verde: Discos de cria onde abrigam ovos ou larvas de abelhas em desenvolvimento até a fase de pré-pupa. Também é chamada pelos meliponicultores de “cria nova” ou “postura recente”.